segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Tribunal d'O JOGO - taça Liga 2010/11, grupo A, 1ªjornada


Tribunal O JOGO: FC Porto 1-2 CD Nacional da Madeira

Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria) / Assistentes: João Santos e Luís Marcelino / 4º Árbitro: Jorge Ferreira.


Dragão caiu sem interferência do árbitro

Houve um penálti assinalado e dois outros reclamados na noite em que o FC Porto perdeu pela primeira vez. Os especialistas de O JOGO são unânimes na análise do lance de que resultou o golo portista e na decisão de nada assinalar no caso de Guarín, dividindo-se apenas na apreciação da jogada de Sereno com Pecnik.



Momento mais complicado

88' Ficou por assinalar grande penalidade por falta de Sereno sobre Pecnik?

Jorge Coroado
+
Sereno jogou a bola na frente de Pecnik, e foi este que foi tropeçar no portista. O lance foi rápido, mas reconheça-se a legalidade do mesmo.

Pedro Henriques
+
Sereno entra em "tackle" deslizante sobre Pecnik. O facto é que, mesmo com diversas repetições, não é certo que tenha havido infracção, por isso dou o benefício da dúvida à decisão do árbitro.

Paulo Paraty
-
Televisivamente, não há evidências totais. Só o árbitro assistente número dois terá a melhor visão da situação, mas tudo leva a crer que Pecnik terá sido rasteirado no seu pé direito por Sereno.



Outros casos

1' Ficou por sancionar cotovelada de Bruno Amaro na cara de João Moutinho?
46' São justificados os protestos de Guarín, que fica a reclamar penálti de Luís Alberto?
62' É bem assinalada a grande penalidade por falta de Felipe Lopes sobre Walter?
86' A indignação que leva Hulk a ver o cartão amarelo justifica-se?

Jorge Coroado
-
João Moutinho procurou jogar a bola vindo de trás. O jogador do Nacional apercebeu-se e fez um movimento com o cotovelo na procura de João Moutinho. A lei é clara: vermelho e livre directo. O árbitro nada assinalou.
+
Não houve qualquer infracção do jogador do Nacional sobre Guarín. Nada há que apontar na acção do árbitro, neste caso.
+
O braço direito de Felipe Lopes puxou o ombro direito de Walter. Falta inequívoca para grande penalidade.
-
A falta que lhe foi assinalada não existiu. O jogador do Nacional disputou com vigor o lance e caiu. Os protestos não são admitidos, daí o cartão, apesar da falta mal assinalada.

Pedro Henriques
+
Bruno Amaro, no momento do salto, acaba por tocar em João Moutinho, de forma involuntária e sem qualquer infracção técnica ou disciplinar.
+
Luís Alberto já tinha a posição definida e ganha, e é Guarín que choca contra ele. Correcta a decisão do árbitro de nada assinalar.
+
Felipe Lopes, ao saltar, coloca a mão e agarra Walter, acabando por derrubá-lo. Correctas a decisão do assistente e a confirmação do árbitro.
+
Hulk agarra e comete falta e depois protesta a correcta decisão do árbitro com palavras e gestos, acção que mereceu o respectivo cartão amarelo.

Paulo Paraty
+
Não me fica a sensação de que tenha havido cotovelada. Há de facto o contacto do braço com a face de João Moutinho, mas não consigo inferir algum tipo de comportamento violento.
+
Os protestos dos jogadores nunca são justificados. Guarín apenas choca com Luís Alberto, que converge em simultâneo para a mesma bola e lhe ganha posição.
+
Sim. É claro que Felipe Lopes salta sobre Walter, impedindo-o de ganhar posição para atacar a bola. Boa ajuda do árbitro assistente e bem decidida a grande penalidade.
+
Repito que nada justifica as discussões dos jogadores face às decisões das equipas de arbitragem. Pareceu-me que Hulk, acabando a sofrer falta, empurra primeiro.



Apreciação global

Jorge Coroado
Num jogo que foi fácil, apesar do resultado, o árbitro revelou displicência e altivez. Minucioso umas vezes, como no caso do lance que antecedeu o intervalo, inconcebível, não o foi noutras ocasiões.

Pedro Henriques
Olegário Benquerença e a sua equipa fizeram uma arbitragem globalmente positiva e segura que controlou todas as ocorrências disciplinares e técnicas do jogo.

Paulo Paraty
A equipa de arbitragem acabou por ter uma falha importante, mas sem influência no resultado final. Não procurou interferir acima do nível do jogo e fez uma boa gestão disciplinar.



fonte: ojogo.pt

1 comentário:

r.m.silva da costa disse...

Concordo que a derrota que sofremos não teve a influência da arbitragem. Todavia, Olegário, fez uma arbitragem do nível a que já nos habituou, isto é, fraco.
Na Tv, parece não ter existido falta para penalti como diz Coroado; no terreno, parece incrível como Benquerença a não marcou. O Porto já perdia...