sexta-feira, 5 de novembro de 2010

F.C.Porto 1-1 Besiktas . Carimbado já o nosso passaporte...


assistência: 34.139 espectadores.

árbitro: Paolo Tagliavento; assistentes: Massimiliano Grilli e Gianluca Cariolato; 4º árbitro: Carmine Russo; assistentes adicionais: Christian Brighi e Gabriele Gava.

FC PORTO: Helton «cap»; Fucile, Rolando, Otamendi e Alvaro Pereira; Guarín, Belluschi e Ruben Micael; Hulk, Falcao e Rodríguez.
Substituições: Hulk por João Moutinho (63m), Belluschi por Souza (73m) e Falcao por Walter (79m).
Não utilizados: Beto, Sereno, Varela e Castro.
Treinador: André Villas-Boas.

BESIKTAS: Arikan; Hilbert, Toraman, Gülüm e Üzülmez «cap»; Ernst, Mehmet Aurélio e Guti; Nihat, Bobô e Tabata.
Substituições: Tabata por Holosko (46m), Bobo por Uysal (84m) e Nihat por Güven (92m).
Não utilizados: Kaya, Köybasi, Zápotocny e Tekke.
Treinador: Bernd Schuster.

Marcadores: Falcao (36m) e Nihat (62m).

Disciplina: cartão amarelo para Toraman (29m e 66m), Rodríguez (39m e 59m), Hilbert (44m), Üzülmez (59m) e Gülüm (87m); cartão vermelho, por acumulação de amarelos, para Rodríguez (59m) e Toraman (66m).

Tudo corria bem ao FC Porto, que dominou o primeiro tempo no Estádio do Dragão, até Cristián Rodríguez ser expulso ao minuto 61. Depois a equipa de Villas-Boas viu-se a jogar com mais espaço no relvado e a formação turca aproveitou da melhor forma para empatar o encontro. Falcao marcou no primeiro tempo e Nihat impediu a vitória dos azuis e brancos na seguda parte.

O FC Porto foi a primeira equipa a criar perigo, quando, ao minuto 17, Hulk isolou na perfeição o seu companheiro Falcao mas o colombiano foi interceptado por Toraman na pequena área da formação turca.

Depois deste lance, o FC Porto pressionou mais e daí resultou o primeiro golo do encontro da quarta jornada do Grupo L.

Ao minuto 34, o árbitro italiano Paolo Tagliavento entendeu que o guardião Harikan derrubou Falcao dentro da grande área e assinalou penálti a favor dos azuis e brancos. Na conversão, o colombiano não falhou.

Na segunda parte, ao minuto 57, deu-se a melhor jogada de todo o encontro. Numa combinação entre Falcao e Hulk, o colombiano ficou isolado perante Arikan mas o guardião dos turcos conseguiu desviar a bola para canto.


Um minuto depois a equipa portuguesa viu-se reduzida a dez elementos, com o juíz a mostrar o segundo amarelo a Rodríguez por protestos.

O FC Porto ressentiu-se com a expulsão do extremo uruguaio, com a equipa a ficar momentaneamente desconcertada. Daí, ou não, resultou o golo turco da autoria de Nihat ao minuto 61. O extremo marcou um grande golo do meio da rua, bem colocado, para um canto superior da baliza, sem hipótese para Helton.

Com o empate, os turcos começaram a dominar o Dragão e beneficiaram das melhores oportunidades de golo no segundo tempo. Nem a entrada em campo do mestre João Moutinho animou a formação orientada por André Villas-Boas.

Ao minuto 75, Rúben Micael isolado, picou a bola sobre Arikan e quando a bola se preparava para entrar dentro da baliza, apareceu Gulum a cortar. O FC Porto comemorou mas o árbitro de baliza anulou o lance.

Mesmo com o empate, o primeiro do FC Porto na Liga Europa, os Dragões (com dez pontos) garantem já a qualificação para os 16 avos-de-final, mas não o primeiro lugar do Grupo L.

No outro encontro do grupo, o CSKA Sófia foi a Viena vencer o Rapid Viena por 2-1.

DECLARAÇÕES NO FINAL DA PARTIDA

André Villas-Boas: «Ficar em inferioridade numérica pode acontecer a qualquer equipa e o descontrolo emocional pode acontecer a qualquer jogador. Reconheço, no entanto, que a expulsão do Rodríguez poderá até ter marcado a mudança no jogo. Encontrarmo-nos com menos um jogador poderá ter sido decisivo para o Besiktas chegar ao golo, mas nós continuamos a dispor de oportunidades para chegar à vitória, o que não aconteceu por capricho e por decisão do árbitro. Apesar do acréscimo de árbitros, que deveria acrescentar maior grau de certeza nas decisões da equipa de arbitragem, continuamos na dúvida em relação ao facto de a bola poder ter entrado ou não naquele lance do Rúben Micael. Tendo em conta as dificuldades crescentes e a capacidade de continuarmos a criar oportunidades, creio que é de valorizar o facto de termos conseguido o apuramento para a fase seguinte ainda com dois jogos para disputar. A verdade é que a vitória nos escapou por detalhe. O empate talvez deixe um sabor amargo, mas, tendo em conta o que fizemos, acho que é de sublinhar o desfecho e o esforço de todos os jogadores.»

13 comentários:

Revolta FCP disse...

Ora este foi um daqueles jogos 2 em 1 a pensar em outra coisa qualquer. Tivemos claramente 2 jogos, o primeiro até á expulsão do cebola (que ontem foi um banana) e a partir daí o segundo. Estes dois a pensar sempre no próximo domingo e no clássico com os passarinhos de lisboa.

Se até uma certa altura ainda conseguimos ver algum futebol, após o desacerto da expulsão nunca mais fomos os mesmos. Até tendo a pensar que já não o éramos, mas simplesmente estavamos a disfarçar melhor. Com um meio campo apagado, um ataque esforçado e uma defesa que não esteve nos seus melhores dias a coisa já estava complicada. Some-se a isso uma cambada de caceteiros, um árbitro que em Portugal era uma estrela (ao nível dos melhores que cá temos) e uns assistentes á altura do árbitro... e está tudo dito.

No final vale o apuramento e o resultado que mantém o Porto sem derrotas. Mas ainda assim vale para os rapazes do André irem atentos para o próximo jogo.

Veja as notas do jogo em http://revoltazulebranca.blogspot.com

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem o FC Porto rubricou uma exibição pobre.
Valeu a conjugação de resultados que nos permitiram já o apuramento.

O nosso meio campo não carburou como habitual. Belluschi e Ruben não são compatíveis.

Rolando arrisca-se a perder o lugar para Otamendi. Ontem o argentino foi um patrão da defesa, rubricando uma excelente actuação.

Fucile e Alvaro em jogos contra equipas com algum poder ofensivo, tornam a equipa menos sólida defensivamente. São dois laterais ofensivos, o que obriga a que um dos médios feche, e neste sistema táctico de Villas Boas, não existe um cabeça de área fixo.

Falcao e Hulk estiveram ao nível do que nos habituaram esta época, sempre bem no entendimento e a causar desequilíbrios na defensiva turca.

Nota negativa para Cebola. O veterano capitão turco, conseguiu a expulsão imatura de Rodriguez. Podia ter comprometido em muito a nossa qualificação, pois com a sua saída a equipa desequilibrou-se momentaneamente, e os turcos podiam ter dado a volta ao resultado.

Nota negativa para a equipa de arbitragem. Muito mal no capitulo disciplinar, não entendo como o capitão turco consegue terminar o jogo.

O penalti sobre Falcao na minha opinião é inexistente, pois Falcao já vai em queda, embora haja toque do defesa turco.
Os turcos são muito duros na abordagem aos lances, daí AVB ter substituído Hulk e Falcao.
Um golo mal invalidado a Ruben, também marcou a prestação negativa do árbitro. A bola esta completamente dentro da baliza, e se o golo tivesse sido validado teríamos vencido os turcos.

O mais positivo do jogo foi mesmo o público que acorreu em bom número ao Dragão em vésperas de clássico, para apoiar a equipa.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

Armando da Rocha disse...

Força com este grande blog que vai pondo os sarracenos no seu devido lugar...

Cumprimentos

meirelesportuense disse...

Jogo sempre muito complicado, Helton a mostrar algumas limitações, Guarin a abrir espaços na zona nevrálgica e Rodriguez a estragar o que era talvez mais fácil...Foi assim que eu vi o jogo.Alguma debilidade defensiva com o Otamendi a não conseguir impor-se no jogo por alto, Guarin a não impor o seu físico numa zona muito importante e lá na frente um Rodriguez cheio de vontade de fazer tudo e mais alguma coisa, quase sempre mal...Depois um Rúben Micael a 50%.
-Mas o Penaltie, mais conquistado que sofrido, o GR Turco não percebeu que Falcao já ia em queda e tocou-lhe, uma infantilidade...Depois com o jogo feito em termos de resultado, veio a expulsão, que considero exageradíssima por duas razões, Rodriguez empurra por ter sido empurrado pelos dois adversários e só ele viu o amarelo o que é inconcebível...Se havia razão para um castigo, ele tinha que ser repartido pelos três jogadores envolvidos, ainda por cima envolvidos de uma forma tão ingénua e inócua, uns empurrões, empurrões que pelos vistos só não são permitidos, aos azuis e brancos...Que pontaria, depois de um Espanhol, só podia sobrar um Italiano estúpido, é demais para a paciência latina...
Mas o Helton pareceu-me inferiorizado, teria sido melhor deixá-lo no banco...Esperemos para ver se não ficam mazelas, o importante foi garantir a qualificação mas, ficou o susto, dois remates nos postes, sem hipóteses e, a certeza que há ali jogadores a precisarem de ser sujeitos a um isolamento purificador...Tassssssssss.......

meirelesportuense disse...

A questão da bola dentro bola fora para mim não é questão há dúvidas e se elas existem não se de marcar...Mas só mostram que para acertar, tinham que estar ali para aí doze árbitros...Um de cada lado dos postes e mais uns quantos a decidir os fora de jogo...Dois numa área, dois na outra área, dois em cada linha de defesas -portanto, mais quatro- um árbitro principal e um árbitro em cada canto da linha final, 2+2+2+2+1+2+2=13 árbitros eram capazes de decidir mais ou menos bem...Se não fossem benfiquenhos, claro.

João disse...

@meirelesportuense

Quando o Rodriguez vê o 2º amarelo, o árbitro também mostrou amarelo a um jogador do Besiktas.

meirelesportuense disse...

@João:
Não vi esse amarelo , sinceramente só vi o amarelo a Rodriguez e fiquei admiradíssimo, porque a acção do "chega para lá" é conjunta, até mais grave do turco que do uruguaio, este foi derrubado e depois empurrado e reagiu, mal, mas reagiu...Mas enfim, sendo assim tudo bem...
-Agora o Guarin é de pôr um santo a dizer e a fazer asneiras, tanto cabedal mal aplicado...Internacional Colombiano?...Ponham-no na frente a ponta-de-lança, se calhar é "o pinheiro que nos falta"!

Jorge disse...

E possivel que o arbitro "de baliza" nao tenha tido duvidas nenhumas. So nos e que temos duvidas porque nao confiamos no arbitro que estava bem colocadoe nao temos imagens para se a bola entrou. Ja num lance no final em que o Falcao e rasteirado perto da linha de fundo, tenho duvidas que a bola tenha saido e nesse caso o arbitro de baliza pareceu-me estar tapado pelo Falcao. Se a bola nao saiu era penalty.

O penalty marcado e claro e nao e cavado nem forcado, o Falcao esta desiquilibrado mas e abalroado pelo guarda-redes Turco.

Pedro Reis disse...

Uma opinião um pouco diferente:
Ontem acho que não ganhámos porque basicamente não nos empenhámos a fundo para que isso acontecesse!
Mas nem critico muito, porque efectivamente se havia jogo em que podíamos relaxar um pouco era o de ontem... E o empate servia e serviu.

Independentemente disso e em relação aos lance mais discutidos e discutíveis a minha opinião é a seguinte:
a) Penalty assinalado é uma falta clara (independentemente de também ser claro que o Falcao já estava desequilibrado);
b) 2ºAmarelo ao Rodriguez é merecido, como merecido foi ao turco. Cotovelos, mãos na cara, empurrões são para sancionar. O árbitro não tem culpa que os jogadores andem de cabeça quente e não se controlem.
c) Remate do Ruben Micael pelas repetições que vi fiquei sempre com a sensação que a bola entrou completamente, mas a verdade é que não há nenhuma repetição no enfiamento da linha final para tirar as dúvidas;
d) Lance do Falcao, parece-me que a bola não sai totalmente e a ser assim seria penalty.

Anónimo disse...

O FCPorto fez uma boa 1ª parte.
A expulsão do C.Rodriguez cumplicou
a as substituíções do André Vilas Boas, e foi nesse periodo que o FCP se recssentiu mais. O perigo dos Turcos à balisa do Porto, só de remates de longe.
Haver uma vitoria, só para o FCPorto que nos 90 minutos foi a melhor equipa.
O àrbitro italiano teve influência no resultado ao não marcar o golo do Ruben.

O PORTO É GRANDE VIVA O PORTO.

Anónimo disse...

Rubem Amorim fez o golo? E quem foi a "peça" que estava a "curtir" ?
Convém ir fazendo o ficheiro destes cromos, que eles qualquer dia dizem-se jornalistas...

Anónimo disse...

Honestamente, estava-me bem a ca*** para este jogo. Para mim o mais importante era poupar alguns jogadores e não ter nenhuma lesão.
Eu tinha posto o James e o Walter nos lugares do Falcao e do Hulk, estes vão ter muito que batalhar e correr no próximo domingo.
Mais 2 notas, novamente uma arbitragem de nível europeu, ou seja, sempre em prejuízo dos clubes portugueses, e uma "Cebola" que começa a justificar que é um jogador a mais no plantel do FCP. Se não fosse o preço que custou acho que já tinha sido dispensado, mas assim, têm que o pôr a jogar para tentar despacha-lo.

Gaspar Lança disse...

Foi difícil, mas estamos apurados, e basta-nos vencer um dos dois jogos da fase de grupos para garantirmos o primeiro lugar e evitar então as equipas vindas da UCL e ainda os outros primeiro classificados.

É já amanhã o clássico e temos de vencer!

Um abraço e continuação de bom fim-de-semana.