domingo, 3 de agosto de 2008

Integração supersónica

Supersónico. A velocidade demonstrada por Hulk em campo, contra o Leixões, coincide com a rapidez com que se integrou no plantel do FC Porto. O brasileiro não precisou de mais do que um par de treinos para entrar na família azul e branca e impor, de forma natural, a sua descontracção e boa disposição. Talvez por isso, na sexta já se tenha visto um Hulk relativamente conhecedor dos mecanismos da equipa e das movimentações dos companheiros. É verdade que, a espaços, ainda reclamou com alguns para que lhe passassem a bola, mas esse é mais feitio do que defeito do avançado. E nem o árbitro escapou a um esbracejar de discordância por uma falta que não lhe foi assinalada.

Hulk está no FC Porto há pouco mais de uma semana e, como é natural, refugiou-se junto dos compatriotas Helton, Fernando e, sobretudo, Lino para os primeiros passos. Foram eles que lhe explicaram as regras da casa e a filosofia de trabalho de Jesualdo Ferreira. O avançado entendeu a mensagem e tratou de se adaptar. Os últimos treinos têm mostrado um Hulk brincalhão, como se conhecesse os companheiros há anos. Mais lenta está a ser a tarefa de escolher casa. Mesmo já conhecendo os recantos de Gaia e do Porto, o avançado continua a dar voltas à procura da melhor localização antes de trazer a família.

Não foi, por isso, de estranhar que a estreia de Hulk com a camisola do FC Porto tenha sido positiva, ao ponto de deixar água na boca aos adeptos. Viram-se boas movimentações, velocidade, toque de bola e um remate forte que ainda não fez as redes balançar, mas andou perto. Esta noite, o super-herói do Dragão deverá ter uma segunda oportunidade.

Na verdade, não se pode dizer que Hulk tenha chegado a uma realidade totalmente nova, porque já tinha vivido um ano em Portugal, mas o seu conhecimento do futebol europeu está longe de ser baseado na prática. E essa é, sabe O JOGO, uma das preocupações de Jesualdo Ferreira nos próximos tempos: dar-lhe um banho de cultura táctica. Hulk saiu bem cedo do Brasil para jogar no Japão e precisa de lições. Nada de urgente, até porque Lisandro continua a ser a primeira aposta. Um outro dado que parece merecer a atenção dos responsáveis portistas: Hulk aparenta ter algum peso a mais, embora a sua constituição física seja robusta e isso não tenha sido problema no Japão, onde, em três anos, marcou mais de 50 golos.

Detalhes que não atrapalharam as primeiras indicações que convenceram não só a crítica, mas também os adeptos, como se pode perceber, aqui ao lado, pela recolha de opiniões em vários blogues e fóruns espalhados pela internet. No meio do entusiasmo gerado pela estreia, há até quem defenda que os 5,5 milhões de euros pagos por metade do passe não serão exagerados.

Solto no ataque, sempre com os olhos na baliza

O que pode Hulk acrescentar ao jogo do FC Porto? Pelo que se viu, músculo, velocidade, técnica e poder de fogo a toda a largura do ataque. O brasileiro começou e esteve mais tempo descaído sobre o lado direito, com a intenção de procurar as diagonais curtas e rematar com o pé esquerdo, o preferido. Com a entrada de Candeias, Hulk assumiu uma posição mais central no terreno, sempre em sintonia com Lisandro, notando-se a disponibilidade para buscar jogo atrás procurando tabelas com os companheiros ou assumindo os riscos de sair em velocidade. Foi ainda visto no lado esquerdo e até em tarefas defensivas, tendo, aí, cometido uma falta desnecessária. De resto, Hulk mostrou técnica, com dois toques de calcanhar, algumas fintas - sempre em progressão e com os olhos na baliza de Beto - e uma excelente recepção de bola, procurando logo a posição para sair a jogar.

in o jogo

2 comentários:

Anónimo disse...

FCPorto ganhou 4-1

tiago araújo disse...

Somos os maiores