sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O público ou a falta dele, no Dragão


O que mais se questiona hoje em dia, é como é que o FCPorto não consegue em todos os jogos um média de pelo menos 40 mil adeptos em cada jogo. O Estádio do Dragão em 2003, estava previsto a sua construção para 40 mil lugares, mas com a vinda do Euro 2004 isso ia obrigar alguns estádios com lotações iguais ou superiores a 50 mil lugares, em concordância com as instâncias do governo e da FPF, o F.C.Porto avançou para a lotação mínima exigida pela UEFA, tendo hoje uma lotação para 52 mil lugares. O que se questiona é que raras situações, jogos frente ao Benfica, festas de título, jogos para a Liga dos Campeões e Liga Europa ultrapassa os 40 mil - curiosamente houve um F.C.Porto - Limianos que teve 41,118. Como é que um FCPorto tão dominador e tão ganhador não consegue em todos os jogos ultrapassar os 40 mil? A razão que deve levar os adeptos a não irem ao Dragão e a limitarem-se a ver o jogo pela televisão, deve ser ou pelo horário do jogo ou pelos preços dos respetivos bilhetes. Veremos se as coisas melhorem daqui para a frente, porque é muito bom estar no estádio e ver todas as cadeiras preenchidas.


13 comentários:

Anónimo disse...

Subscrevo e acrescento que os preços praticados devem baixar assim como os ordenados dos jogadores tb se devem adequar à realidade. Jogar no FCP já se sabe é um tramplim para outros voos visto sermos uma montra. Acho também, e falo no meu caso em particular, que quando há jogos ao domingo à noite, ainda por cima depois das 19h raramente vou. O jogo do sporting foi uma execpção mas cheguei a casa tardissimo e cheio de fome e passadas poucas horas já estava a trabalhar. Não dá!

Anónimo disse...

Bom dia,

queria-lhe dar os parabéns pois a qualidade deste artigo está excepcional.

Continuação de bom trabalho neste blog, do qual já sou fã há muito tempo.

Anónimo disse...

Parabéns pelo post, e excelente blog! Continuação!

Anónimo disse...

F C Porto, Sporting e Benfica, vão inflacionando o mercado. Cada um, a qualquer custo quer ser melhor que o outro. E os empresários aproveitam-se da situação. Engordam enormemente os seus proveitos, e os clubes vão engrandecendo o passivo. E depois vemos jogadores que mal sabem ler, falar e escrever, dizerem que têm que ganhar bem, pois estão numa profissão curta. Vejamos o seguinte exemplo: Um casal português de classe média/alta , com uma filho e que ganhe por mês uma média de 5 mil euros, ao fim de 30 anos ganhou 1.8 M euros. Muito poupado pode ter um aforro de 150/200 mil euros, a acrescentar a uma reforma de 3 mil euros mensais. nessa altura terá proximo dos 60 anos. Um jogador dos chamados grandes, que tenha uma carreira de 11/12 anos sem lesões, pode ganhar mensalmente no minimo 200.000 euros de media. Ganha 28.8 milhões de euros. Vai ter uma reforma aos 60 anos do valor máximo da segurança social, que pode atigir os 20.000 euros. Mesmo que gaste em 12 anos cerca de 15 milhões euros ( grande carro, bonita casa, boas roupas etc) fica com capital para no banco ter juros de cerca de 40.000 euros MENSAIS. E isto com 35/36 anos.A verdade é que um só jogador ganha num ANO aquilo que o casal junto NÃO ganha em 30 anos. Portanto temos que entrar numa realidade que se aproxima complicada. Viver com o que podemos pagar. É sádico e desumano, muitas familias fazerem sacrificios para ir ver futebol, sabendo que é este dinheiro que vai pagar os chorudos ordenados, deixa-me sem palavras. Isto é puro fanatismo, só comparado com os coitados que são explorados nas igrejas das várias relegiões. Lá dizia Salazar, que o futebol é o ópio do povo. Enquanto forem ao futebol, não chateiam. Portanto devia haver uma junção de ideias para salvar este desporto que apaixona muita gente. Lmbrei-me de Jorge Mendes, Cristiano Ronaldo e outros que comparados com aqueles que estudaram para poderem colocar o seu saber e contributo na sociedade , não são ninguem. Enriquessem á nossa custa. São um vicio como a droga e o tabaco. Portanto se todos, quer sejam jogadores, dirigentes , publico, e toda a " gentinha " que gravita á volta deste desporto, não pensar rápido no futuro que se adivinha, esta galinha de ovos de ouro vai morrer.

Anónimo disse...

As principal razão será a crise. Mas penso que existe outra razão mais triste, que é o facto de os adeptos do F.C.Porto estarem mal habituados. Como vencemos sempre ano após ano os adeptos tendem a relativizar as vitórias. O ambiente no estádio não é muito intimidativo porque parece que as pessoas já não sentem aquela emoção que os nossos adversários sentem pois para eles a vitória é a excepção e não a regra!

Hugo disse...

A crise afeta-nos a todos....

marujo88 disse...

Excelente post,está tudo dito, mas eu penso que os dirigentes do futebol português ainda podem fazer alguma coisa pelo futebol,por exemplo não permitir que sejam transmitidos mais que dois jogos por semana do nosso campeonato,os clubes fazerem mais jogos durante o dia, poupam na luz, e possivelmemte conseguem que vá mais gente aos estádios, e haverá mais coisas que podem ser feitas.Foi dito aqui que nas antas só se pagava as cotas, é verdade, mas havia dois ou três jogos por epoca que tinha que se tirar bilhete suplementar, era chamado dia do clube, e que normalmente era nos jogos com os grandes.
Abraço
manuel moutinho

Foreval (Alemanha) disse...

Sr. Tiago o seu artigo é contundente e oportuno, mas temos de compreender e admitir que estas
vicissitudes são efeito da crise.
Os tempos mudaram... e os piores ainda não chegaram! Muitas pessoas
têm agora de contar os centimos e
abdicar de regalias, vícios e
costumes... a vida está muito
difícil e, como tal, muitos são
obrigados a ficar em casa em frente da televisão. O preço dos
bilhetes (e extras: como
transporte, bebidas, etc...), não
são convidativos e o dia/horário dos jogos também não seduzem o
adepto. Cabe pois à Direcção do
FC do PORTO colmatar esta situação
em consenso com a Federação. Caso
contrário, o Futebol passará a ser
um "espectáculo privado" para a
élite ver! Em suma, mais tarde ou mais cedo os Clubes têm de agir e
encontrar soluções.

MadjerFutre disse...

Há uns tempos que cá não venho mas é sempre bom voltar. Houve uma deriva para a política cá no Blog, mas já estamos outra vez de volta ao nosso Porto. Ia escrever no Post anterior mas já se desactualizou..AGORA SE PERCEBE A VENDA DO HULK..Depois da venda do Falcão fartei-me de dizer que precisávamos de um ponta-de-lança, se tivéssemos o Jackson o ano passado, MARCOU O GOLO MAIS BONITO QUE VI NA MINHA VIDA DE AZUL-E-BRANCO OU QUALQUER OUTRA CAMISOLA, e não foi contra o Carcavelinhos..Teríamos feito uma Liga dos Campeões boa..mas pronto tá feito tá feito...
Agora as asistências, eu lembro-me quando era nas Saudosas Antas, eu ainda digo ir às Antas ao Dragão, tinha-se Camarote, Cativo ou Bancada Central ou Lateral, isso assegurava entrada em todos os jogos porque era o direito de ser sócio. Agora paga-se quota de sócio, e paga-se bilhete e paga-se lugar quem o tem..e depois ir ao jogo mais qualquer coisa que se come e depois jantar....Irem 40.000 é um milagre e somos e são uns heróis.. Como alguns deixaram isto..
Abraço

O Mágico disse...

Eu recordo me de ver ao vivo e jogos mesmo em video do estadio das antas com 90!! Mil pessoas!estadio completamente cheio,e obviamente o Porto nao perdeu adeptos desde entao,pelo contrário,hoje tem adeptos por todo o lado,mas aqueles adeptos que vao só dragão muitas vezes vao para comer pipocas e aplaudir e apaudir como se estivessem numa peça de teatro!saudades do publico fanático e ferrenho das antas que criava ambientes infernais aos adversários!apesar de nos primeiros anos do dragão isso ter acontecido,principalmente com mourinho.

Quanto a crise e prioridades e preço dos bilhetes relembro uma situação que aconteceu a 12 anos e que perdorou durante muito tempo,na Argentina ...com uma crise brutal no pais as pessoas perderam tudo,passavam fome,iam das cidades para os campos matar gado cheios de fome...e os estádios...completamente cheios!o estadio do boca com 60 mil pessoas todos os jogos,veles river etc sempre cheios os estádios!e ia crise era maior do que a daqui!o problems do espectador tuga e que esta sempre a reclamar de algo,ou e o preço ,ou e a hora...etc.
O Porto tem adeptos e dimensao para encher se tivesse um estadio para 60 ou 70 mil,o problema e a mentalidade do adepto portugues,os jogos da seleccao estao cheios porque só querem e ver o cr7..e nao a seleccao,principalmente as mulheres que vao ao estadio,no dia em que o ronaldo estiver aleijado,fica se pela metade a lotação do estadio!e um facto

Rui António Dias Moreira disse...

O facto é que o FCPorto agora tem mais adeptos em todo o mundo do que alguns anos, quando se enchia o Estádio das Antas com 90 mil pessoas! 90 mil! Hoje temos mais adeptos, mas as pessoas podiam encher o estádio, pelo menos digo 40 mil, mas hoje só enche em dias de festa, jogos da seleção ( principalmente para ver o Cristiano Ronaldo ), jogos contra Benfica, Sporting, Braga, Marítimo,etc....

Como dizes, esperemos que as coisas mudem e toca ir ao DRAGÃO!

O Mágico disse...

E quanto a chuva,quando era nas antas,ouvia muito boa gente a dizer que o estadio era uma vergonha,porque as pessoas estavam todo o jogo a apanhar chuva,em inglaterra e que era i exemplo,agora que os estádios sao tapados parcialmente desculpem lá...nao tem desculpa!inventem outra!querem limousine para vós ir buscar a casa?E melhor dizerem que nao tem pachorra para ir

Anónimo disse...

Uma vergonha não encher o estádio! Olhem para o Borussia de Dortmund!!!