terça-feira, 15 de março de 2011

Leiria 0-2 F.C.Porto . Titulo quase quase nosso.



assistência: --- espectadores.

Árbitro: Cosme Machado (AF Braga), Assistentes: Alfredo Braga e Inácio Pereira; Quarto árbitro: Hugo Pacheco.

UNIÃO DE LEIRIA: Gottardi; Paulo Vinícius, Bruno Miguel e Zé António; Hugo Gomes, Marcos Paulo, Iturra, Rúben Brígido e Patrick; Cacá e Fabrício.
Substituições: Hugo Gomes por Panandetiguiri (66m), Rúben Brígido por Pateiro (74m) e Iturra por Leandro Lima (83m).
Não utilizados: Mika, Mamadou Tall, Diogo Amado e João Silva.
Treinador: Pedro Caixinha.

FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Maicon e Alvaro Pereira; Guarín, João Moutinho e Belluschi; Hulk, Falcao e Varela.
Substituições: Varela por James (55m), João Moutinho por Ruben Micael (77m) e Falcao por Cristian Rodríguez (77m).
Não utilizados: Beto, Otamendi, Fernando e Mariano.
Treinador: André Villas-Boas.

Marcadores: Guarín (59m) e Hulk (92m, g.p.).

Disciplina: cartão amarelo para Belluschi (31m), Fucile (46m), João Moutinho (76m), Gottardi (92m) e Hulk (93m).

O FC Porto venceu a União de Leiria, por 0-2, e deu mais um passo na sua caminhada triunfal rumo ao título de campeão nacional. Os dragões somaram hoje a 21ª vitória em 23 jogos no campeonato (apenas dois empates) e levam já 13 pontos de vantagem sobre o 2º classificado, faltando duas vitórias para a festa azul e branca.

Num encontro pouco emotivo, disputado num ritmo baixo e sem grandes oportunidades de golo, o FC Porto só conseguiu construir o triunfo na segunda parte, face à resistência defensiva dos anfitriões no primeiro tempo.

Os leirienses, comandados por Pedro Caixinha, apostaram em conter as iniciativas ofensivas dos dragões, recorrendo de forma pragmática à defesa e fechando os espaços a Hulk, Falcao e companhia, espreitando apenas o contra-ataque. A formação de André Villas-Boas dominou claramente a primeira parte, mas também pouco conseguiu incomodar o guardião Gottardi.

No entanto, por duas vezes reclamou-se penálti a favor dos dragões, sempre por suposto derrube de Kaká a Belluschi, mas o árbitro Cosme Machado assim não entendeu.





Foi assim preciso esperar pela segunda parte para o FC Porto chegar à vitória. Guarín, o herói improvável de Moscovo, devido ao golo ao CSKA na última quinta-feira para a Liga Europa, voltou a brilhar com um remate de fora da área muito colocado, a 98 kms/h, que apanhou desprevenido o guardião Gottardi, assinando o 0-1 aos 59'.

Numa hegemonia praticamente absoluta dos forasteiros, Falcao podia ter aumentado para 2-0 aos 74', depois de um passe soberbo de Belluschi, mas Gottardi conseguiu adiar até ao minuto 90, quando acabou por cometer penálti sobre Hulk. Na conversão do castigo máximo, o 'Incrível' não perdoou e fez o seu 20º golo no campeonato, encerrando uma série de oito jogos sem golos.

O FC Porto eleva assim a sua vantagem para 13 pontos e poderá vir a celebrar o título no estádio do 2º classificado.

DECLARAÇÕES NO FINAL DA PARTIDA

André Villas-Boas: «Faltam-nos apenas duas vitórias para atingirmos o nosso objectivo interno: com a Académica e com o Benfica. Esse percurso leva-nos ao título. É um percurso que o nosso adversário também tinha traçado. Felizmente para nós correu bem e para eles correu mal. 13 pontos é uma diferença muito importante para um campeão nacional que investiu bastante, muito competente, que muito dificilmente não seria campeão este ano e, afinal, as coisas estão como estão. Campeão na Luz? É preciso ter algum cuidado. O Benfica tinha essa motivação extra no ano passado e não lhes correu bem. O mais importante é focalizarmo-nos no nosso objectivo».

Hulk: «Se sentia ansiedade? Não. Estou habituado a fazer vários golos, é sempre complicado quando há uma sequência de jogos sem marcar. O importante é que a equipa está bem, todos concentrados e dar o máximo. Independentemente de quem marca, o importante são os três pontos. Nada está ganho. Temos de manter a mesma humildade. Sabemos que temos um grupo de qualidade e a prova disso é a série que estamos a fazer. Sabemos quanto nos custou perder o título na época passada. Temos tudo para ganhar este ano e vamos vencer.».

2 comentários:

r.m.silva da costa disse...

Serviços mínimos a cargo de Guarin e Hulk, com a moderação de mestre André.

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Foi um jogo complicado, estivemos muito lentos na circulação, e apesar do domínio e controlo absoluto do jogo só mesmo à bomba abrimos o marcador.

Para complicar mais, tivemos inexplicavelmente uma União da Leiria, que luta por um lugar europeu, a jogar num esquema ultra defensivo, que nos complicou imenso as acções atacantes.
Depois de termos apanhado um Guimarães com atitude idêntica no Dragão, é mau para o futebol português que equipas que lutam por lugares europeus, joguem este tipo de futebol, típico de clubes que lutam pelo ponto para não descer de divisão.

Depois tivemos um "Cómico" Machado que escamoteou 2 penaltis claros, e marcou o mais discutível...pois o resultado já estava feito.

Arbitragem péssima, num jogo fácil de apitar, de um árbitro desnorteado que nem deixou a primeira parte chegar aos 45 minutos.

Guarin, Belluschi e Hulk foram os principais timoneiros desta vitória, efectuando boas exibições.

Moutinho e Varela estiveram um pouco abaixo do esperado.

James entrou muito bem no jogo, Falcao lutou imenso e só pecou na finalização. Na defesa nada a apontar, estiveram seguros e tranquilos.

Faltam 2 vitórias para a consagração, que esperemos que seja na Luz.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/