domingo, 31 de outubro de 2010

Académica 0-1 F.C.Porto . Jogo difícil em campo alagado



assistência: --- espectadores.

árbitros: Duarte Gomes (Lisboa); Assistentes: José Lima e Pedro Garcia; 4º Árbitro: Hélder Malheiro.

ACADÉMICA: Peiser; Pedro Costa, Berger, Orlando e Hélder Cabral; Diogo Melo e Hugo Morais; Sougou, Laionel e Diogo Valente; Miguel Fidalgo.
Substituições: Laionel por Eder (70m), Diogo Valente por Júnior Paraíba (78m) e Pedro Costa por Habib (87m).
Não utilizados: Ricardo, Amoreirinha, Bischoff e Diogo Gomes.
Treinador: Jorge Costa.

FC PORTO: Helton «cap»; Sapunaru, Rolando, Maicon e Alvaro; Fernando, Belluschi e João Moutinho; Hulk, Faclao e Varela.
Substituições: Fernando por Guarín (23 m), Varela por Otamendi (71 m) e Falcao por Cristian Rodríguez (81m).
Não utilizados: Beto, Rafa, Walter e Rúben Micael.
Treinador: André Villas-Boas.

Marcadores: Varela (42m).

Disciplina: cartão amarelo a João Moutinho (38m), Hélder Cabral (73m), Maicon (90m), Helton (90m), Peiser (90m).


A chuva não tem dado tréguas ao nosso país e a cidade de Coimbra não é excepção, por estes dias. Um autêntico dilúvio fez-se sentir antes e durante o jogo. Perante tamanho temporal, o “novo” relvado do estádio Cidade de Coimbra ressentiu-se. Num relvado destinado à prática de futebol, mais parecia jogar-se pólo aquático, tal a quantidade de água existente no terreno.

O FC Porto de André Villas-Boas habituado a jogar com a bola no pé, a fazer imperar a sua maior qualidade técnica dos seus jogadores viu-se impossibilitado de praticar o seu estilo de jogo, tais as condições do terreno de jogo.

Durante a primeira parte, os azuis-e-brancos foram mais eficazes, mas foi a Académica quem dispôs de mais oportunidades de golo e que melhor se adaptou às condições do campo.

Bom exemplo disso, foi, aos dez minutos, um cruzamento de Miguel Fidalgo que encontrou ao segundo poste a cabeça de Diogo Valente. A verdade é que, em boa posição, o jogador português não conseguiu cabecear com sucesso, com Helton a segurar com facilidade o esférico.

O FC Porto respondeu, ao minuto 19, por intermédio de Falcao. Hulk entrou na área e caiu, reclamando falta de um adversário. Após esse lance, a bola foi a saltitar para o meio da pequena área, onde surgiu Falcao em boa posição, mas o colombiano, perante Peiser, pontapeou na atmosfera, perdendo-se um bom lance de perigo.

Após os primeiros vinte minutos, a equipa de Coimbra perdeu então a vergonha por completo e por várias vezes alvejou a baliza de Helton. A verdade é que Diogo Melo, Laionel e Sougou não conseguiram fazer a bola chegar ao fundo das redes da baliza do FC Porto.





Contra a corrente de jogo, surgiu então o golo do FC Porto. Aos 42 minutos, Álvaro Pereira fez um longo lançamento de linha lateral junto à área da Académica, Berger cortou mal o lance e a bola encaminhou-se para a pequena área pelo ar, aí surgiu Silvestre Varela a rematar à meia-volta, num bom gesto técnico, e a fazer o primeiro golo do jogo.

Durante o primeiro tempo, André Villas-Boas contou com uma contrariedade. Fernando saiu lesionado, no entanto Guarín entrou bem no jogo e a alteração não se fez sentir.

Já no segundo tempo, o FC Porto surgiu mais personalizado, mais perigoso e apostado em justificar a vantagem alcançada na primeira parte. Contudo, apesar de se sucederem as oportunidades de golo, a eficácia evidenciada no primeiro tempo parece mesmo ter ficado no balneário.

Falcao e Hulk dispuseram de uma mão cheia de oportunidades claras de golo, mas os dois jogadores mostraram não querer nada com a baliza defendida por Peiser, esta noite.

Aos 75 minutos, Hélder Cabral tocou com a mão na bola dentro da área e o árbitro Duarte Gomes assinalou grande penalidade. João Moutinho, chamado à conversão do castigo máximo, não fez melhor que os seus colegas, e atirou ao poste, falhando a hipótese de “matar” o jogo.

A Académica continuou, ao longo da segunda parte, a lançar bolas para as costas da defensiva portista, mas Maicon e Rolando mostraram-se intransponíveis, não concedendo espaço a Sougou e Miguel Fidalgo, coisa que tinha acontecido na primeira parte. As alterações levadas a cabo pelo técnico Jorge Costa (Éder, Júnior Paraíba e Habib) acabaram por não ter o efeito desejado.

No último fôlego, a Académica dispôs de um livre perigosíssimo à entrada da área portista. Hugo Morais atirou colocado mas a bola saiu à barra, na recarga Sougou atirou por cima.

Foi com o resultado (0-1), construído no primeiro tempo, que se chegou ao fim da partida. Com esta vitória o FC Porto passa a somar 25 pontos e repõe a vantagem de sete pontos sobre o segundo classificado, o Benfica. Apesar da derrota, a Académica continua no terceiro lugar, à espera do que os restantes adversários possam fazer nesta nona jornada da primeira Liga do futebol.



O F.C.Porto realiza esta quinta-feira dia 04 de Novembro o jogo frente ao Besiktas para a Liga Europa, e depois segue-se a 10ª jornada e desta vez frente ao SLBenfica que neste momento ocupa a 2ª posição da tabela classificativa.


DECLARAÇÕES NO FINAL DA PARTIDA

André Villas-Boas: "Este jogo era extremamente difícil para ambas as equipas. Foi um jogo de espírito de sacrífico, de bolas longas e de segundas bolas. O próximo jogo não será decisivo. Quem diz que é decisivo não estudou a história do futebol. É uma oportunidade para aumentar a nossa vantagem. O Fernando terá de ser reavaliado."

Hulk: "Estou muito feliz. Graças a Deus que ninguém se lesionou neste campo. Esta exibição mostra a força do Porto. Queremos ser campeões e com a nossa união conseguimos vencer. Pensamos apenas jogo a jogo e hoje só queríamos pensar em subir mais um degrau. Agora é pensar no Besiktas e na Liga Europa."



24 comentários:

João Manuel Couto disse...

Boas,
Achei uma boa atitude do árbitro, para mim o jogo não devia ter sido suspenso senão os outros jogos também teriam sido!
Grande jogo do nosso FCPorto!
abraço

Anónimo disse...

Somos Porto!

Armando Pinto disse...

Apesar das tentativas de prejudicar o F. C. Porto, obrigando à realização do jogo naquelas condições impraticáveis, o Porto venceu em Coimbra e manteve a distância dos mouros, mostrando que, apesar do que eles querem fazer crer, o Porto é que faz pressão sobre eles, porque não perde como eles tanto queriam...
Ridículas as afirmações do Jorge Costa e dos futebolistas da Académica, no final do jogo; mas se dos jogadores ainda se entende, porque dos que mais se mostraram lixados bem se sabe que simpatizam com a mouraria, já o Bicho mostrou que é um ingrato e esquecido do seu percurso, demonstrando nunca mais merecer qualquer simpatia da malta do Porto. Pelo menos para mim, embora sem esquecer o que foi quando jogador, mas sem qualquer admiração como treinador espalha-brasas e antipático.
Grande vitória do FCP e agora venham os gayvotas para os arrumarmos de vez!!

http://longara.blogspot.com/

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Foi uma vitória de garra e luta!
Foram bravos os nossos jogadores.
Belluschi, Varela, Moutinho, Guarin e Alvaro foram uns guerreiros!
Pena as 4 oportunidades de golo claro falhadas na segunda parte (uma delas o penalti).
Poderíamos ter vencido tranquilamente o jogo.
O relvado estava impraticável, a bola não rolava, havia perigo para a integridade física dos jogadores (Fernando saiu lesionado), e o árbitro poderia e deveria invocar a Lei 5, e parar o jogo temporariamente, suspendê-lo ou interrompê-lo definitivamente por razões de interferência de acontecimentos exteriores (chuva intensa que levou ao mau estado do relvado).
Felizmente tudo correu bem e vencemos!

A Liga tem de repensar estas autorizações para a realização de concertos musicais, no decorrer da época desportiva.

O central Orlando devia estar com o cérebro encharcado de água, quando afirmou «A vitória do F.C. Porto não é justa»
Este gajo ou é burro ou mouro... e desculpem a redundância!
O FC Porto teve 4 oportunidades de golo "cantado" na segunda parte.
A Académica limitou-se a enviar já em tempos de descontos uma bola à barra de livre directo!

Duarte Gomes fez uma péssima arbitragem. Na primeira parte não nos deixou jogar. Marcou faltas inexistentes contra nós, e deixou por marcar outras a nosso favor.
Penso que o golo é mal anulado ao Falcao.
Senão fosse o fiscal de linha teria ficado por assinar aquela grande penalidade evidente.
Quanto à alegada grande penalidade cometida por Maicon é inexistente. Maicon tem os braços junto ao tronco, e a bola do peito ressalta ao ante-braço.

O FC Porto foi um justo vencedor, pois lutou mais num relvado deplorável, e foi a equipa que mais procurou vencer a partida.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

Anónimo disse...

Mourinho: "F.C. Porto-Benfica será praticamente decisivo"

Villas-Boas: "Não é decisivo, de forma alguma. E quem o diz pouco entende de futebol, não estudou a historia do futebol"

fernandob disse...

Grande jogo naquelas condições... Pena não termos "matado" o jogo, com várias oportunidades para isso... André lembra-te do livre à trave, nos ultimos segundos...mas lembra-te sempre nos próximos jogos em que estejamos a vencer por 1 !!!
Mais um desgosto com declarações de um dos "nossos" ! Depois do Domingos no ultimo jogo no Dragão, temos agora o Bicho, com conversa do mesmo nivel !!! eu sei que se não o fizerem, os pasquins de lisboa, começam com insinuações...mas mentir, torcer para agradar a uns escrevinhadores de 3ª categoria, valha-me Deus !!! Releiam as declarações do Dauto Fakirá, ó Domingos e ó Bicho !!!

Barcelos disse...

Alguém não tem orgulho nesta equipa???

ENORMES!!!

Anónimo disse...

Jorge Costa voltou a demonstrar toda a sua baixeza intelectual, porque se há coisa que interessaria falar no final do jogo, era como muito bem disse o hulk, que ninguem se tivesse lesionado seriamente, porque o jogo simplesmente nao deveria ter-se realizado.
Falar em justiça ou nao de um resultado praticado num pantanal , estamos conversados...
mas mesmo no pantanal so houve uma equipa a querer ganhar que nao hajam duvidas...

Anónimo disse...

Que grande vitória hoje do meu FCPorto,obviamente esta grande 'vitória' não incluo a exebição devido ás caracteristicas do campo/piscina,mas sim da entrega,do querer e força de vontade que demonstraram perante uma equipa também ela agerrida
á imagem no bom sentido do seu treinador.Esta equipa está de parabéns á muito que não via assim uma equipa do Porto com esta raça.

Não gosto de fazer este tipo de juizos mas tenho dúvidas que com JF saissemos hoje de Coimbra com os 3 pontos,parece-me que o AVB sabe como motivar os jogadores e gostei como ele segurou o meio-campo e anulou a Académica na segunda parte.

Bibó Porto rumo ao titulo que nos pertence.

José Andrade disse...

Boas,
Mais uma grande vitória do nosso porto.
Espectacular.
abraço

Revolta FCP disse...

Análise

Um autêntico dilúvio fez-se sentir antes e durante o jogo. Perante tamanho temporal, o “novo” relvado do estádio Cidade de Coimbra parecia uma piscina. Num relvado destinado à prática de futebol, mais parecia jogar-se pólo aquático, tal a quantidade de água existente no terreno.

Para uma equipa como o Porto, que gosta de jogar tecnicamente, bonito e com velocidade, este tipo de condições complicam mais um jogo que o Bruno Paixão.

No entanto, os rapazes de Villas Boas não desistiram e avançaram para a vitória, ainda que, mesmo tendo sido a melhor equipa em campo, claramente tenha necessitado de sorte para isso.

Até ao golo de Varela, o Porto estava a perder fulgor, após 20 minutos iniciais mais intensos. A saida de Fernando foi outro factor que transtornou a equipa e isso via-se nas entradas "a medo" de alguns jogadores com medo de se lesionar.

A segunda parte foi claramente do FC Porto, pelo que a Académica não efectuou nenhum remate até aos 90 minutos. Durante este tempo ainda houve hipótese para Moutinho falhar a conversão de uma grande penalidade.

Mas o jogo ainda não tinha acabado e o Sr. Maicon, que tinha estado impecável até ao minuto 90, resolveu complicar e arranjar um livre que só não deu golo pela sorte que já tinha dito que tivemos para ganhar o jogo. Também seria totalmente injusto o empate.

Foi com o resultado (0-1), construído no primeiro tempo, que se chegou ao fim da partida. Com esta vitória o FC Porto passa a somar 25 pontos e repõe a vantagem de sete pontos sobre o segundo classificado, o Benfica. Apesar da derrota, a Académica continua no terceiro lugar, à espera do que os restantes adversários possam fazer nesta nona jornada da primeira Liga do futebol

Gostei de

Hulk - é com ele que o Porto conta em momentos dificeis e ontem não foi excepção. Não fez golos, mas lutou e correu que se fartou e voltou a dar uma lição do que é vestir de azul e branco.

Varela - Pelo golo. Oportuno, criou a ocasião e aproveitou a oportunidade e é isso que se pede aos jogadores do FC Porto.

Moutinho - Se tivesse marcado o Penalty seria o maior... mas ainda não foi desta que marcou de dragão ao peito. Mas foi enorme este pequeno jogador. Tacticamente irreprensivel, após o amarelo poderia ter fraquejado e desaparecido, mas continuou a jogar e a demonstrar as suas capacidades. Excelente.

Falcão - Pelas mesmas razões de hulk. Correu, lutou e demonstrou que para se jogar no Porto é preciso vontade e garra.

Beluschi - este ontem estava no seu terreno. Brincar na areia ou no campo ontem era a mesma coisa. Percebeu isso e a partir daí foi de toques e de truques que foi fintando jogadores contrários. E até defendeu...

Irritei-me com...

Maicon - Impecável. Irritei-me aos 90'... podia ter saído cara a brincadeira.

TVI - Ora, transmissão que só começa aos 10 minutos, cheia de quebras e com comentários desastrosos (para não dizer tendenciosos e aziados).

Árbitro - Não pela arbitragem em si. Apenas porque devia ter impedido que este jogo se realizasse.


Conclusão

O Porto encontrou ontem um dos seus maiores desafios desta época. E superou o mesmo com 3 pontos no bolso. Para a história fica um mau jogo de futebol decidido pela sorte de um lance.

No final, mantivemos os 7 pontos de avanço sobre os lampiões e até temos direito a aparecer na capa do Pasquim da Queimada.

Agora é arrumar o assunto da Europa League (ó mister, ponha lá o James a jogar) e dar a mocada final nos passarinhos no Dragão.

Comente e dê a sua opinião em:
http://revoltazulebranca.blogspot.com

rbn disse...

Quando vi o dilúvio em Coimbra, temi por 2 coisas:

1)o gramado naquele estado costuma nivelar as equipas por baixo, já que este tipo de jogo é levantar a bola com uma perna, chutar com a outra para bem longe, seja o que Deus quiser e quem marcar primeiro vence(que se confirmou).

2)que um livre em frente à área, uma escorregadela, um alívio mal feito ou até mesmo um lançamento do guarda-redes para perto da área do FCP virasse golo fortuito(que quase se confirmou).

E pensei que AVB fosse colocar um 11 mais musculado de início, com Guarin e Walter, deixando Falcão e Moutinho para a 2ª parte.

Mas apesar de tudo, Belushi nos deliciou com pormenores fantásticos, voltando a ser o Belushi que já conhecia do River Plate.

Moutinho falhou o penalty da tranquilidade, Maicon fez ganda jogo e Hulk, se calhar decepcionado com Mano Menezes, não foi o Hulk que conhecemos, mas ainda assim, é sempre um dos melhores em campo.

No geral, a entrega e entreajuda foi a tónica do jogo e Varela, num golpe de karate, tirou o coelho da cartola e resolveu.

Obs:Alguém tem avisar o Guarin que ele não é o Roberto Carlos... arriscar chutes à entrada da área, ok, tudo bem...

mas de qualquer lugar do relvado já é querer milagre...

Pedro disse...

Curioso que o melhor em campo ,pelo menos para mim, foi Belluschi. Pareceu adaptar-se melhor do que qualquer outro jogador ao relvado. O picar da bola mal a recebia é sinal que este rapaz já jogou em alguns batatais.

Só não gostei de mais uma troca no marcador do penalti. Quase nos custou 2 pontos. Isso e a desinspiração do Falcao.

De resto foram todos bravos, é uma equipa à Porto carago!

meirelesportuense disse...

Foi o que se determina como uma vitória motivadora e moralizadora...Não é fácil ganhar assim, ainda para mais com um DGomes a delinear sorrateiro a estratégia encarnada, até parecia que em conluio com o São Pedro...Nunca gostei muito do São Pedro, ou há-de dar calor a mais, secura a mais, ou chuva a mais, é declaradamente um Anjo de exagero...Porque "carga de água" não choveu assim em Lisboa, na sexta-feira?...Livro de Reclamações por favor.
belo post.

meirelesportuense disse...

Li no JOGO que o André Vilas-Boas não esteve de acordo com a realização do desafio, já Jorge Costa dissera o mesmo, portanto a decisão coube apenas e em exclusivo ao Duarte Gomes, porquê percebe-se muito bem...Em defesa do espectáculo benfiquenho.

meirelesportuense disse...

E gostei imenso de ver a cara de sofrimento versus alegria do Villas Boas, mostra todo o seu empenho e portismo...Não é só profissionalismo, também necessitamos de ver esse empenho apaixonado, nos nossos técnicos.

meirelesportuense disse...

Relativamente ao Jorge Costa, revela o seu oportunismo, já acontecera o mesmo com Domingos, preocupam-se apenas em defender o seu umbigo...-Não há que ficar muito surpreendido, os homens são assim, uns dias para um lado e noutros para outro...Mas sempre coerentes com a sua avidez.

Anónimo disse...

joao moutinho vai marcar ao slb

P. Ungaro disse...

Boa tarde,

Antes de maisacho que o jogo não se devia ter realizado. Foi provavelmento dos piores jogos que ja vi. Provavelmente o arbitro achou que talvez fosse uma forma de nos limitar. Para alem do golo anulado e por ai fora.
Do jogo em si extraio mais uma vez a vontade de ganhar a raça e a entrega de todos, porque jogo jogado não houve.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Tiago Araújo disse...

O que eu mais gostei no jogo de ontem, foi a forma como os jogadores ultrapassaram, com distinção, o desafio de vencer num campo impraticável.

Eduardo Caldeira disse...

Inqualificável! Como é que foi possível jogar futebol, num relvado daqueles? Não havia as minimas condições, uma autêntica piscina que parecia esta noite o Estádio Cidade de Coimbra, quem queria bom futebol, infelizmente não o pode ter.

Já para não falar na transmissão da TVI, que para além de ter começado após o inicio da partida, teve alguns cortes ao longo do jogo, a televisão e o relvado estavam bem um para o outro!

Mais uma vitória importante por parte da nossa equipa, num terreno bastante complicado (hoje ainda mais) e com os Dragões a manterem a tradição, de não perderem em Coimbra. De realçar o fantástico apoio dos adeptos portistas, que se fizeram ouvir durante os 90 minutos, sem dúvida que foram fundamentais nesta vitória, sendo o 12º jogador.

Devido ao estado do terreno, antevia-se um jogo bastante complicado, a bola corria mal e os jogadores não sabiam ao certo onde a bola ia cair, parar, etc... um jogo a apelar para a inteligência dos jogadores e para o seu fisíco e resistência. Numa partida que não estava a ser muito boa, ao minuto 43 surge um remate fabuloso de Varela, que coloca os Dragões em vantagem e estabelecendo o resultado final.

Na 2ª parte, o FCPorto dispôs de várias opurtunidades para ampliar a vantagem, inclusivé teve um penalty desperdiçado por Moutinho, que enviou a bola ao ferro da baliza de Peiser. Com tanta opurtunidade falhada, já ao cair do pano, a equipa comandada por Jorge Costa podia ter causado um balde de água fria aos azuis e brancos, num livre à entrada da área, a Académica envia a bola à barra e na sequência do lance, o jogador dos 'estudantes' falha com a baliza praticamente aberta.

3 pontos fundamentais para a conquista do título!

Um abraço

PortoMaravilha disse...

Viva !

Mais uma Vitória mais uma Alegria !

Vitória mais que justificada do Porto que assim receberá um dos candidatos ao título com vantagem substancial na tabela classificativa. O que é importante !

Quanto ao jogo : Não sei se vi um jogo de Water-Polo ou de futebol.

Não costumo criticar arbitragens. E sei que também é fácil falar de campos batidos. Porém, eu acho que foi vergonhoso que o árbitro tivesse autorizado o jogo com um campo em tal estado que desfavoreceu do princípio até ao fim a equipa do Porto.

E sem entrar em qualquer misticismo, como canta Jorge Ben, Deus é justo e verdadeiro !

E ganhou a melhor equipa !

Mas aqueles momentos finais de sofrimento não eram necessários.

Impossível ter um juízo quanto a uma equipa de futebol que joga numa piscina. Mas acho que o Guarin foi útil no miolo.

O Porto tem colectivo mesmo na piscina : LOL!

E Viva o Porto !

Anónimo disse...

Que raio de campo era aquele?

João Manuel Couto disse...

Que luta! Que azar! Que sorte! Houve de tudo neste jogo que não se pode chamar de futebol. Aquilo a que se assistiu em Coimbra foi outra coisa qualquer que pouco tem a ver com o desporto que todos gostamos... mas mesmo assim, vencemos! Estamos fortes, temos atitude, somos bravos e quando assim é vencemos contra tudo e contra todos! Já assim foi na Turquia e agora voltou a ser em Coimbra. Esta vitória foi muito importante...

Desta vez, incrível foi apenas o temporal que se abateu sobre Coimbra e que tornou o relvado quase impraticável. Com o começar do jogo percebeu-se que não ia haver futebol e íamos assistir a uma luta de homens na água. Esqueça-se a técnica, os passes, os remates... ali só o mais forte iria vencer. A capacidade física e a concentração iriam ditar o vencedor, porque a bola com este tipo de terreno, pára onde menos se espera e é preciso estar atento e prevenido para esse facto. Soubemos ser inteligentes e combativos, pois adaptamo-nos bem a este novo tipo de jogo... sobre a água. Um Porto todo-o-terreno que, até ver, resiste a tudo...

Entramos com o nosso actual melhor 11, com Sapunaru, Belluschi e Varela a reassumirem os seus lugares. Não houve cá lugar a trocar um Belluschi por Guarin devido ao estado do terreno, como se fazia noutros tempos... Todos têm de ter capacidade para lutar, afinal todos são homens. Na primeira parte registo para três situações: a entrada forte da nossa equipa; um golo anulado a Falcao (mais um) que ainda não percebi bem a razão, uma vez que no Estádio não se viu falta alguma e nos jornais e resumos que vi hoje nem referem o lance... curioso. Por último, o golo de Varela! Grande Golo! Já perto do intervalo, lançamento lateral na esquerda de A. Pereira com a bola na área a ficar à mercê de Varela que à meia volta (meio acrobática) rematou de pé direito e fez um golo que levantou o Estádio! Sentiu-se a importância do golo, num jogo que tinha tudo para não correr bem.

Na segunda parte, já deu para jogar um pouquinho de futebol e apareceu mais o Porto, que conseguiu criar algumas oportunidades claras de golo, desperdiçadas por Hulk e Falcao. Deu até para desperdiçarmos mais um penalti que podia ter-nos custado bem caro... Desta vez foi Moutinho a assumir a responsabilidade e também ele falhou, como já aconteceu esta época a Hulk e Falcao. Moutinho está a merecer o golo e teve ali uma oportunidade de ouro para marcar e para nos tranquilizar. Colocou de mais a bola e acertou no poste... ainda não foi desta, mas o golo surgirá! Costuma dizer-se que quem não marca sofre e isso certamente passou pela cabeça de muitos de nós... Restava-nos aguentar o ímpeto da Académica que moralizou com aquele lance. Para isso já lá estavam a ajudar Otamendi e Guarin que entretanto tinham entrado... e também lá estava a barra, que no último minuto foi a nossa salvação. Livre perigoso em zona frontal e muito bem cobrado, mas para nossa sorte, acertou em cheio na barra. Na recarga perigosa que se seguiu, remate perigoso a passar por cima. Ufff! Que alívio de todos nós! Foi a famosa estrelinha que acompanha os campeões! Fim do jogo e festa dos adeptos e jogadores que juntos sentiram a importância deste triunfo...

Coimbra voltou a ter mais encanto, vestida de azul e branco...

Agora venha o Besiktas para carimbarmos o 1º lugar do grupo e depois venham eles...