segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Antevisão do jogo Nacional x F.C.Porto


O árbitro é Bruno Paixão, auxiliado por Paulo Ramos e António Godinho

Convocados do F.C.Porto:
Guarda-redes,
 Helton e Beto,
Defesas, Fucile, Sapunaru, Rolando, Maicon, Otamendi e Álvaro Pereira,
Médios, Fernando, Souza, Belluschi, J.Moutinho, C.Rodríguez e Ruben Micael,
Avançados, Varela, Falcao, Walter, Ukra e Hulk

Equipa provável: Helton, Fucile, Rolando, Maicon e Álvaro, Fernando, Belluschi J.Moutinho, Varela, Falcao e Hulk.






Antevisão de Villas-Boas :


Nada transcendente
«Temos oportunidade de ganhar pontos a, pelo menos, um adversário directo, mas convém lembrar que esta será apenas a quinta jornada. São oito vitórias consecutivas, mas são apenas quatro na Liga. Não há nada de transcendente nisso.»


Motivação e obrigação
«Pode ser uma boa oportunidade para aumentar a vantagem pontual em relação a um ou mais concorrentes, em caso de vitória na Madeira. Se isso pode funcionar como motivação extra? Acho que sim, acho que poderá ser, mas a obrigação desta equipa passa sempre por conquistar a vitória.»


Consolidar
«Os jogos fora com o Nacional e o Guimarães e, de permeio, com o Olhanense em casa, são importantes para nós, por se tratar de oportunidade para consolidarmos a liderança, até porque, nesta fase, registar-se-ão confrontos directos entre outros candidatos ao título.»


O melhor e o pior
«Parece-me muito cedo para tirar ilações definitivas sobre o Nacional, que tem alguns jogadores importantes lesionados. E, se o Nacional foi capaz do melhor e do pior em casa [venceu o Benfica e perdeu com o Guimarães], também apresentou um registo idêntico jogando fora, com uma vitória em Vila do Conde e uma derrota em Leira.»


Passar jornada na liderança
«O mais importante é sabermos que passamos esta jornada na liderança, queremos conquistar os três pontos, cimentando a liderança, e aproveitar os confrontos directos entre outros opositores nas próximas jornadas.»


Contra o bloqueio mental
«As deslocações à Madeira, pela regularidade com que se regista o tropeção, tornou-se um bloqueio mental. São sempre jogos complicados e é fundamental afastar esse bloqueio. A equipa está forte e vamos à Choupana para jogar na máxima força.»


Lado imprevisível
«Toda esta alternância que temos feito, mais a variabilidade de jogo que temos evidenciado, mais o que cada jogador é capaz de oferecer ao colectivo e esse factor surpresa permitem-nos encarar todo este leque de opções com extremo agrado, pelo que é possível que possa haver alterações no onze, embora o mais importante seja sublinhar esse lado imprevisível daquilo que o FC Porto pode fazer.»


Competitividade interna
«A estreia do Otamendi é tão importante como a estreia do Sereno ou a titularidade do Rolando e do Maicon. O Sereno e o Otamendi têm um desafio pela frente e o Rolando e o Maicon têm-se revelado uma dupla segura dentro de um colectivo forte. Trata-se de competitividade interna. Sinto que todos os jogadores têm sido competitivos e que todos ameaçam ser convocados. A alternância na convocatória revela isso mesmo.»


Velocidade de adaptação
«O Falcao é um jogador de grande prestígio e o Walter também. Creio que há adaptações mais bem sucedidas do que outras ao jogo europeu e ao futebol português. E o Walter teve um período de inactividade antes de chegar ao FC Porto. O facto de estar presente com regularidade nas convocatórias revela um jogador disponível para ameaçar a titularidade.»


Mensagem perigosa
«A mensagem de vitória e de sucesso é perigosa, porque permite o frenesim e um determinado tipo de elogios que podem levar a um tropeção. O frenesim do elogio máximo e do FC Porto bestial pode passar rapidamente ao outro extremo. Esta é a continuação de um percurso de 12 vitórias consecutivas iniciado na época passada. Não é nada de anormal para o FC Porto, que tem de manter-se numa dinâmica de vitórias.»


Nova ordem
«Temos um grande percurso pela frente. A mim e aos jogadores, entusiasma-nos uma nova ordem, uma nova organização. Sem criticar a anterior, que tantos êxitos conseguiu, creio que a nova organização estimula outro tipo de qualidades gerais nos jogadores, tanto tácticas como técnicas, além da liberdade que têm em jogo para decidir. Essa liberdade, que é condicionada, traz um novo estímulo aos jogadores, permitindo-lhes reencontrar novas soluções neles próprios, que eles mesmos desconheciam, o que conduz a um tipo de jogo imprevisível. Fundamental é impedir que esta onda de elogios conduza ao relaxamento.»


Cadeira de sonho
«Não aceitaria conduzir a selecção portuguesa em dois jogos, porque, como sabem, estou sentado na minha cadeira de sonho e não abdico dela por nada.»

Peço mil desculpas, por recentemente não ter postado posts nestes dias, porque fiquei sem internet e não tinha possibilidade de vir há net.

5 comentários:

João Manuel Couto disse...

Boas,
Não vai haver motivos para falhar, vou ficar em casa a ver o jogo pela TVI na TV.
Força FCP!
Abraço de
J. Manuel couto

Remente FCP disse...

Bom Dia,
Não pode haver margem para erros, os mouros ganharam e queremos continuar a nossa vantagem.
Abraço

Nuno Araújo disse...

Boas,
Logo ganhar e triunfar.

OrgulhoAzul disse...

Achei interessantes as declarações de AVB sobre o bloqueio mental de ir jogar à Madeira.É que antes de se pensar na qualidade da equipa adversária,pensa-se sempre primeiro no local onde se vai jogar...uuiii é na Madeira...não desprezando atenção.

Assim como folgo em ver o nosso treinador a apelar constantemente à calma e a alertar para o perigo do relaxamento.E parece que a equipa está a corresponder a isso.

Quanto ao jogo,é o mesmo de sempre,espero mais três pontos,se possível com uma boa exibição.Vamos lá,passinho a passinho.

Bom resto de Segunda a todos.

Anónimo disse...

De gravata ou fato macaco, é um jogo para ganhar, temos jogadores e equipa para isso.
Espero ter uma segunda/feira feliz
com um bom resultado do FCPorto.

Quanto ao jogo Galinhas e Gatos aquilo foi uma soneira.Ganharam as
Galinhas porque os gatos estavam tinhosos.

O PORTO É GRANDE VIV O PORTO.